logo insp copy

ptenfr

Ministro da Saúde e da Segurança Social fez lançamento oficial do Inquérito Sero-epidemiológico da Infeção por SARS-CoV-2 que arranca esta quarta-feira, em todos o país

O Ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, presidiu na manhã desta quarta-feira, na Cidade da Praia, a cerimónia de lançamento do Inquérito Sero-epidemiológico da Infeção por SARS-CoV-2, juntamente com a Presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública Maria da Luz Lima e o Presidente do INE, Osvaldo Borges.

IMG 7782 copyEste inquérito que visa determinar a exposição da população cabo-verdiana ao SARS-CoV-2 (Vírus da COVID-19) vai abranger todos os concelhos do país, decore de junho a julho e vai contemplar um total de 6500 indivíduos, com idade compreendida entre os 10 e os 80 anos.

De acordo com as declarações do Ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, este inquérito constitui mais um instrumento para avaliação da situação da pandemia pois dará uma fotografia do momento no país que é fundamental em termos de definição de estratégias e de abordagem da situação.

Segundo o Ministro juntamente com as medidas que vem sendo implementadas de distanciamento social e massificação do teste nas comunidades e nas instituições, e dada a condição arquipelágico do país, o governo vai aumentar a capacidade de realização de teste com a instalação de laboratórios de virologia na ilha do Sal, na região Fogo e Brava.

“Tudo está sendo preparado para que no início de julho esta capacidade já esteja instalada” reforçou.

Arlindo Rosário disse ainda que fundamental mesmo é que as pessoas comecem a interiorizar as medidas que devem ser cumpridas por forma a reduzir a demanda junto dos serviços de saúde.

A Presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública, Maria da Luz Lima, durante o seu discurso considerou que esta operação estatística trará um panorama geral sobre o contato da população cabo-verdiana com o vírus SARS-CoV-2.

“Com esta investigação pretende-se melhorar o conhecimento da extensão da epidemia em Cabo Verde, subsidiar estratégias, programas e políticas governamentais de resposta adequada à pandemia, adotar medidas de prevenção e de contingência mais assertivas e eficazes, apoiar o processo de retorno às atividades quotidianas e identificar fatores socioeconomicos, epidemiológicos, demográficos e clínicos, muito importantes à transmissão e dinâmica da epidemia”, sublinhou.

Maria da Luz Lima tambem frisou que este projeto de investigação está em andamento desde o passado mês de abril e que tem uma vasta equipa de coordenação, composta pelo Instituto Nacional de Saúde Pública, a Direção Nacional de Saúde, a Organização Mundial da Saúde, o Instituto Nacional de Estatística, Universidade Jean Piaget e a Universidade de Cabo Verde.

A Presidente do INSP esclareceu ainda que pelo facto desse inquérito incluir menores, teve-se o cuidado de introduzir neste trabalho um termo de assentimento que permite aos menores, mesmo com a permissão dos seus pais e encarregados de educação, aceitarem a participar do questionário e fazerem o teste rápido de covid19.

Participaram deste evento o Representante da OMS em Cabo Verde, o Diretor Nacional da Saúde, o Diretor do Serviço de Controlo e Prevenção de Doenças Prioritárias, o Diretor do Gabinete dos Assuntos Farmacêuticos, a Representante da Universidade Jean Piaget, a Representante da Universidade de Cabo Verde e a Presidente da Comité de Ética e Pesquisa de Saúde.